Home Games Lançamento Google Stadia: qual o propósito?
Lançamento Google Stadia: qual o propósito?

Lançamento Google Stadia: qual o propósito?

4
0

Google stadia teve seu lançamento na terça feira passada, dia 19 de Novembro. O primeiro dia da plataforma não foi lá muito bom. Muita gente descontente com performance, e quem não reclamou disso recebeu suspeitas de serem privilegiados ou de terem acesso a uma estrutura que muitas pessoas não terão em condições normais.

Um desastre prestes a acontecer

Tudo começou semanas antes do lançamento. Google revelou que a maioria dos recursos prometidos não estariam disponíveis na data de lançamento. Muitos dos jogos prometidos também não estariam imediatamente disponíveis, o que tornou uma experiência que já não prometia muito ainda mais desanimadora.

Houve relatos de pessoas que nem conseguiram acessar o serviço, e eu infelizmente fui uma delas. Só que não da forma que você deve estar imaginando. Não foi problema de conexão ou mesmo de estrutura. Meu problema foi por ser brasileiro!

 

Google Stadia: um lançamento sem propósito?

Google Stadia está disponível apenas em alguns países no mundo. Canadá é um deles. Como estou morando no Canadá, naturalmente imaginei que poderia usar o serviço sem problemas. Minhas suspeitas foram corroboradas quando meu pagamento foi processado utilizando minha conta brasileira do google, assim como meu cartão de crédito brasileiro.

Ainda trabalho para uma empresa brasileira, portanto a maioria das minhas contas ainda são brasileiras.

No dia do lançamento, recebi um e-mail da google com instruções para criar uma conta do stadia. A primeira chatice é que você é obrigado a usar o aplicativo deles. Nada de acessar pelo navegador. Ou mesmo usar o chromecast que, para ser configurado, precisa de seu próprio aplicativo também.

 

Problemas antes mesmo de receber o produto

Eu ainda nem tinha recebido o pacote com o controle, e o meu primeiro obstáculo foi baixar o aplicativo. Há um bloqueio por país no google play, onde você deve baixar o aplicativo do stadia. Até aí eu compreendo. Mas a forma como fazem esse bloqueio é baseada no país que está registrado no seu perfil. Não importa se você está fisicamente em um dos países permitidos.

 

Uma tentativa de burlar o blqueio

Com o telefone do meu marido, consegui pelo menos fazer o download do aplicativo.

A forma como o aplicativo te cadastra no serviço começa pedindo um código de acesso que você recebe por e-mail. Após inserido o código, você então pode escolher um nome de usuário. Finalmente, por mais que eu já tivesse pago pelos três primeiros meses ao encomendar o pacote com o controle e o chromecast, fui forçado a cadastrar uma forma de pagamento. Como o cadastro de uma forma de pagamento também envolve o google play, que bloqueia o aplicativo por região, naturalmente meu cartão não foi aceito.

O resultado foi que acabei me bloqueando do serviço, visto que cada vez que eu reabria o aplicativo, voltava para a mesma tela exigindo forma de pagamento e não me permitia voltar aos passos anteriores.

 

Uma irritação desnecessária

Isso é uma irritação desnecessária. Certas empresas forçam o cadastro de um cartão na conta quando oferecem um período de testes grátis. Há a chance que você possa esquecer de cancelar o serviço antes do final da amostra, e portanto eles recebem um pagamento. Ou caso você goste do produto, não é necessário fazer mais nada.

Mas stadia não é uma amostra. E uma companhia do tamanho da google não precisa usar essas técnicas. Já vi diversas grandes empresas que permitem que você use o programa por um período de testes sem associar qualquer forma de pagamento, e se você gostar realmente do produto, mais tarde você pode cadastrar seu cartão. Caso não goste do serviço, ele é cancelado automaticamente no final do período de testes. Isso demonstra confiança, tanto no produto quanto no cliente.

 

Mal planejado, ou planejado para falhar?

Ao meu ver, para a google, stadia é mais um experimento do que um produto no qual acreditam ter futuro.

Com a quantidade de dinheiro que uma empresa como a google faz, eles podem fazer experimentos como esse, e depois que coletam os dados desejados, simplesmente abandonam o projeto, como foi o caso com inúmeros dos produtos que já lançaram.

Essa explicação pelo menos é mais plausível do que acreditar que a google cometeria erros tão básicos como falhar ao identificar possíveis problemas com uma interface que tem uma abrangência restrita. Não pensam naqueles que podem estar viajando, ou morando temporariamente em um país no qual possam usar um desses serviços?

Claro que não. Por que pensar em detalhes quando o objetivo não é criar um produto duradouro?

Foto da caixa da edição de lançamento do google stadia
Eventualmente recebi o controle, mas nem abri a caixa (tem plástico ao redor) e devolvi à google imediatamente

 

Google e suas formas defasadas

Tive um problema similar com o youtube premium. Comprei uma assinatura família para compartilhar com o meu marido, visto que moramos na mesma casa. Esse era o requisito listado para uma conta família. O problema é que não especificam o que isso significa. Então apenas após assinar o serviço e não conseguir compartilhar com o meu marido (e usar diversas “tentativas” que, caso esgotadas, não me permitiram compartilhar a conta com ninguém) é que fui atrás dos detalhes.

Em nenhum lugar é explicado o que “viver sob o mesmo teto” significa. Encontrei minha resposta em um dos fóruns de usuário, onde descobriram – por processo de eliminação – que o sistema não verifica seu IP ou sua presença física. Não, a forma mais lógica de fazer isso é procurar pelo endereço cadastrado na sua conta. E mesmo que você tenha também um endereço Canadense, o único que vale é o endereço principal da sua conta.

 

Conveniência apenas quando há benefício mútuo

Considerando que google sempre sabe onde você está mesmo quando não carrega seu celular, pois traqueia até suas transações financeiras offline, é um insulto que bloqueios regionais sejam feitos por uma opção que você não pode mudar livremente e é punido por faze-lo. É óbvio que moro no Canadá. Mas, assim como Amazon, que também encrencou com minhas contas brasileiras, apesar de eu claramente estar morando no Canadá, preferem considerar que o cliente tem más intenções do que fornecer uma experiência agradável e que gera uma opinião positiva sobre o produto / empresa.

 

Confiança colocada no lugar errado

Apesar de toda a negatividade ao redor do stadia, eu estava empolgado para testar o serviço. Acredito que a tecnologia atual ainda não chegou ao ponto de oferecer games através de streaming, mas a possibilidade é interessante. Porém a desorganização e descaso com os consumidores deixa um gosto amargo. Muitos dos recursos não estavam disponíveis no lançamento, regras sobre como o serviço funcionaria não eram muito claras, e há a sensação geral que o produto nada mais é do que uma versão beta paga. Se você pagar, tem direito a experimentar. Você não está recebendo o produto final. Na melhor das hipóteses, você é um investidor que não compartilha dos lucros do empreendimento.

 

Uma empresa grande demais?

A falta de concorrência gera acomodação. Google tem uma posição confortável, e na internet, são gigantes. Podem ditar as regras, e quem não quiser seguir, é enterrado em esquecimento. Alguns dos serviços que oferecem são bons, mas parece que pararam no tempo. Não há mais inovação, e sim a busca por mercados não explorados, o que nem sempre fomenta novidades. Mas se você não está contente com isso, a única opção é não usar o serviço em questão.

E no caso do stadia, a curiosidade se transformou em repulsa. Eu pensava que a falta de transparência com usuários era um problema isolado ao youtube, mas parece que essa tendência está se espalhando a outras áreas da empresa. Ou será que sempre foi assim?

Baseado em relatos de terceiros, a tecnologia do stadia é promisora. Poder jogar qualquer game independentemente de hardware é uma possibilidade empolgante. Mas nesse caso é melhor experimentar serviços similares da concorrência; Playstation, Xbox e até mesmo Steam estão trabalhando em soluções de streaming de games.

(4)

Vagner Albino Nascido no Rio Grande do Sul, atualmente mora no Canadá e está sempre procurando pelas últimas novidades no mundo dos games. Seus jogos favoritos são RPG, aventura, música e indies, e ele mesmo já desenvolveu diversos pequenos jogos e interações para a plataforma Twitch, onde esporadicamente faz algumas transmissões.

Deixe um comentário

Por favor Faça Login para Comentar
  Acompanhe respostas por e-mail  
Notificar