Home Games Mutant Year Zero recebe expansão
Mutant Year Zero recebe expansão

Mutant Year Zero recebe expansão

5
0

Mutant Year Zero: Road to Eden é uma mistura de jogo de estratégia por turnos e exploração. Pega elementos dos novos XCOM como a perspectiva isométrica, lista de habilidades e a necessidade de proteger seus personagens atrás de paredes e outros objetos.

A diferença é que em XCOM, a movimentação dos soldados no campo de batalha antes do início de um confronto também é feita por turnos. Porém em Mutant Year Zero você pode controlar seus personagens livremente nessa etapa. Isso torna a escolha de um melhor posicionamento que te dê vantagens durante a batalha essencial. Durante essa exploração você também pode encontrar itens e equipamentos para te ajudar no próximo confronto.

Captura de tela do jogo Mutant Year Zero mostrando personagens protegidos planejando ataque
Personagens escondidos atrás de cobertura analisando ataque nos inimigos expostos

 

Um bom começo

Mutant Year Zero, quando comparado ao XCOM, é um game mais simples no quesito de estratégia. Opções de equipamento, e até mesmo personagens, é bem menor. No total, você controla 5 personagens. 6, contando com a expansão. Não há muitas opções de customização também.

O ponto positivo é que isso torna o game mais acessível. Para alguém que nunca experimentou um jogo nesse estilo, é uma introdução ideal. Todos os componentes do jogo são facilmente compreendidos. Há menos elementos para considerar nas suas estratégias, o que torna as partidas mais curtas e diretas.

Há também três níveis de dificuldade. No mais fácil, os personagens recuperam sua energia no final de cada batalha. Isso é uma grande ajuda e permite que novos jogadores experimentem formas de jogar sem se preocupar com as consequências.

E para aqueles que não estão com o inglês afinado, há uma tradução oficial em português do Brasil!

 

O mundo de Mutant Year Zero

Produzido por uma empresa sueca, o game é baseado em um RPG de mesa sueco de mesmo nome. A premissa do jogo é um mundo pós gerra mundial nuclear onde humanos encontram-se à beira da extinção. Os poucos sobreviventes se tornaram mutantes e vivem em um local protegido conhecido como a Arca.

Rodeados por um mundo em ruínas, eles precisam lutar contra sua própria extinção. Por esse motivo estão constantemente em busca de suprimentos e equipamentos. Mutantes com habilidades especiais conhecidos como Stalkers (Patrulheiros, na tradução oficial) são os escolhidos para se aventurar no mundo exterior, do qual chamam de Zona.

Imagem promocional de Dux e Bormin, personagens de Mutant Year Zero
Dux e Bormin, os dois mutantes Stalkers que você controle desde o começo do game

A Zona é habitada por sobreviventes insanos e agressivos, os Ghouls (Aberrações). Eles são algo parecido com uma facção religiosa, e servem como inimigo principal.

 

A história de Mutant Year Zero

A sobrevivência dos habitantes da Arca se torna incerta quando um dos mutantes responsáveis pela sua manutenção, Hammon, desaparece na Zona. O Elder (Ancião), o humano mais velho e sábio da Arca, manda dois de seus melhores mutantes, um javali chamado Bormin e um pato chamado Dux, em busca de Hammon.

O que era para ser apenas uma missão de resgate rapidamente se torna uma busca pela terra prometida conhecida como Eden. Muitos dos mutantes acreditam que há um lugar no mundo que não foi afetado pela radiação. Lá eles poderão finalmente viver em paz e harmonia sem se preocupar com suprimentos ou sua segurança.

O Elder é contra essa busca, acreditando firmemente que Eden é apenas um mito.

 

Uma recepção dividida

O final do game base deixa a história em um cliffhanger. Muita gente não gostou disso porque dá a impressão que a história foi segmentada artificialmente para fomentar uma continuação. Isso, aliado ao fato que o game é considerado curto dentre outros do mesmo gênero, deixou um gosto amargo entre alguns fãs.

Eu particularmente não me importei com o final. É o primeiro game da empresa, e a qualidade do produto é mais importante do que sua duração. Nota-se um grande esforço para fazer o mundo parecer interessante, e o jogo é competente naquilo que se propõe a alcançar.

 

A expansão Seeds of Evil

Semana passada a primeira expansão foi laçada para o game. Além de continuar a história (de certa forma), também traz um novo mutante, o alce Big Khan.

Imagem promocional do novo personagem do game, o mutante Big Khan
Imagem de lançamento do novo personagem, o alce Big Khan

Seeds of Evil traz uma nova ameaça aos habitantes da Arca. Uma forma de vida orgânica, as “raízes”, toma conta da Arca e dá um upgrade nos Ghouls, que agora têm habilidades similares às dos mutantes que o jogador controla.

Big Khan traz poderes turbinados. Ele tem um ataque de fogo que atinge diversos inimigos ao mesmo tempo. Alguns dos outros mutantes também recebem novos upgrades, permitindo que você os evolua além dos limites existentes no jogo base.

Na questão da história, ela continua, mas à parte do cliffhanger do jogo base. Há rumores que outros DLCs serão lançados para continuar a história principal, mas para aqueles que estavam esperando uma resolução conclusiva, Seeds of Evil ainda deixa a desejar.

 

Mutant Year Zero

Mutant Year Zero está disponível para PC (Steam), Switch, PS4 e Xbox One. Na Steam, o jogo base custa R$90. O jogo também é oferecido em duas edições.

A Fan Edition inclui o livro de regras do RPG de mesa original, um livro com artes do game, uma coleção de papéis de parede para seu computador e a trilha sonora. Essa edição custa R$145 junto com o game, ou R$56 separada. Nesse caso é indiferente comprar junto ou separado, visto que o preço é o mesmo.

A Deluxe Edition traz o jogo base e a expansão juntas, porém não inclui o conteúdo da Fan Edition. Nesse caso, o pacote custa R$117, enquanto que a expansão separada custa R$40. Comprar o pacote tem uma redução de 10% do valor se os dois fossem comprados separadamente.

Nesse preço, se você tem receio, sugiro esperar uma promoção. Ou pode experimentar o Demo, disponível também na Steam.

Se você tem o Xbox Game Pass, você pode jogar o game na íntegra (sem a expansão) sem pagar um tostão além do valor da assinatura.

(5)

Vagner Albino Nascido no Rio Grande do Sul, atualmente mora no Canadá e está sempre procurando pelas últimas novidades no mundo dos games. Seus jogos favoritos são RPG, aventura, música e indies, e ele mesmo já desenvolveu diversos pequenos jogos e interações para a plataforma Twitch, onde esporadicamente faz algumas transmissões.

Deixe um comentário

Por favor Faça Login para Comentar
  Acompanhe respostas por e-mail  
Notificar