Home POP O Coringa — Quando sorrir passa a ser um esforço
O Coringa — Quando sorrir passa a ser um esforço

O Coringa — Quando sorrir passa a ser um esforço

247
0

O Coringa, filme estrelado por Joaquin Phoenix, ainda não foi lançado, mas o trailer promete. Fazendo uma análise do trailer do longa, alguns aspectos saltam às vistas, e uma delas é a risada do palhaço.

Risada patológica

Em entrevista à revista italiana La Repubblica, Joaquin Phoenix disse que começou a criar o personagem vendo vídeos de pessoas que sofrem de uma síndrome chamada Risada Patológica. Esta síndrome faz a pessoa rir de forma descontrolada e em momentos aleatórios.

No trailer, podemos perceber que o Coringa do filme poderá ter esta síndrome, mas também percebemos o quanto é difícil para o palhaço rir. Ele ri em momentos estranhos, ao mesmo tempo em que se esforça para sorrir. É compreensível que um palhaço, que deve fazer os outros rirem, ser uma pessoa feliz.

Sorria, sempre

Coringa força a risada em cena de trailer
Coringa forçando uma risada

Em outra cena ele coloca os dedos na boca e puxa, forçando uma risada, mesmo com lágrimas nos olhos. Esta obrigação parece ter vindo de sua mãe, que dizia para ele ter um sorriso no rosto.

Mas como sorrir quando tudo parece perdido? Temos uma sociedade que nos obriga a sorrir, ou pelo menos a transparecer isto. O que seria do Instagram sem o sorriso? Parecer estar bem, hoje em dia, é mais importante do que realmente sentir-se bem.

Num país com desemprego crescente, com altos preços para comprar o básico, muitos brasileiros não possuem motivos para sorrir. Além disto, muitos estão passando por problemas pessoais, que nos fazem esconder o sorriso.

Não desista de tentar sorrir

Eu mesmo me vejo representado no filme do Coringa. Às vezes me vejo tentando enfiar os dedos na boca para forçar um sorriso. Não é fácil, e temo estar familiarizado demais com o Coringa quando for ver o filme.

Por vezes gostaríamos de sumir por um tempo, mas os problemas não somem. Pelo contrário, quanto mais demorarmos para lidar com eles, maior eles ficam.

O que fazer quando estamos sem esperança? O que fazer quando um sorriso é mais penoso que o sofrimento? Bom, não há resposta fácil, mas temos que seguir em frente.

Mesmo quando tudo parecer nublado ainda teremos amigos ao nosso lado, ou parentes que nos amam. Não desista de sorrir novamente. Se você não está conseguindo enxergar estas pessoas, é porque algo está lhe impedindo. Mas elas existem.

Há pessoas e instituições que você pode procurar, como o telefone 188, do Centro de Valorização da Vida.

Não desista de sorrir novamente.

(247)

Albert Vaz Escritor e roteirista que já era nerd desde a época que isto era crime. Caráter forjado na mesa de RPG e pelas séries de gosto discutível da TV Manchete.

Deixe um comentário

Por favor Faça Login para Comentar
  Acompanhe respostas por e-mail  
Notificar