Home Games Rock Band 4 em 2019: ainda possível?
Rock Band 4 em 2019: ainda possível?

Rock Band 4 em 2019: ainda possível?

16
0

Rock Band 4 é um dos meus jogos favoritos. Eu sempre tive uma paixão por jogos de música. E a série Rock Band tinha tudo o que eu mais gostava nesse gênero: músicas de variados estilos e a possibilidade de tocar instrumentos distintos, ao contrário do Guitar Hero, que começou apenas com guitarra e baixo.

Atualmente, porém, é quase impossível encontrar o equipamento necessário para jogar o game. Será que essa série está próxima do fim, assim como Guitar Hero, que foi descontinuado no final do ano passado? Neste artigo analisamos o estado atual do jogo e percebemos que o futuro não parece muito próspero para os fãs da série!

 

Jogos de música na 8ª geração de consoles

Esta geração não foi muito gentil para Rock Band e Guitar Hero. Depois do enorme sucesso inicial e a subsequente saturação do mercado, o interesse por esse tipo de jogo desapareceu quase que completamente. Aqui no Canadá é bem difícil encontrar alguém que ainda tenha algum desses jogos, e muitos dos meus amigos passam longe.

Ao contrário de Guitar Hero, que tentou inovar com um controle e forma diferente de tocar as músicas, Rock Band continuou com a jogabilidade tradicional de cinco botões de cores únicas. Isso foi um ponto positivo, visto que permitiu o uso de conteúdo e instrumentos de versões anteriores. Com o Guitar Hero você tinha que começar tudo do zero: nova coleção de música e novo instrumento.

Imagem mostrando controle do jogo Guitar Hero Live e setas indicando quais botões são referentes aos ícones na tela
Nova guitarra usada no jogo Guitar Hero Live com 6 botões em um posicionamento diferente

 

Nada mais do que uma moda passageira?

No começo, a ideia era fenomenal. Tinha referências em filmes, e parecia que todo mundo queria jogar. O game era o mais próximo que alguém poderia chegar de ser um astro do rock.

Hoje em dia, porém, o interesse é baixo. Entre os meus amigos, acham uma bobagem ou perda de tempo. E as fracas vendas e estoques limitados são um sinal claro. As vendas iniciais foram horríveis. Me lembro de ver as imensas caixas com o kit completo juntando pó nas prateleiras das lojas de games aqui no Canadá. Ainda hoje vejo algumas delas nos mesmos lugares.

Muita gente diz que a saturação do mercado com esse tipo de jogo fez com que os jogadores enchessem o saco de Rock Band e Guitar Hero. Wikipedia comenta que foi um reflexo da recessão econômica de 2009, e os games nunca se recuperaram da queda. Mas talvez tenha sido apenas uma moda passageira.

 

Rock Band 4: Um game bastante inflexível

Rock Band, assim como Guitar Hero, não perdoam erros. Você nem pode fazer de conta estar improvisando um solo no meio de uma música. Se você tocar uma nota fora das sequências que o jogo propõe, você perde preciosos pontos. Você também perde classificações e experiência nos placares online. Isso sem mencionar a classificação de FC (Full Combo). Você ganha essa quando não erra nenhuma das notas, o que pode ser cruel de conseguir. Nas competições online, FCs são uma necessidade se você quiser se manter na liderança.

E é justamente esse ar “arcade” que pode ter afastado jogadores mais casuais. Não é um game que qualquer um facilmente aprende. Você precisa treinar e lentamente se acostumar com o gameplay e a forma de ler as notas. Em todas as minhas reuniões com meus amigos, ninguém queria tentar porque tinham vergonha de errar as notas mesmo nas dificuldades mais fáceis. Jogos como Jackbox Party Pack tiveram muito mais sucesso entre meus grupos de amigos.

Captura de tela do jogo Rock Band 4 com um dos membros da equipe falhando no seu instrumento
Um dos membros da banda falhando a música

 

Um lançamento que deixou a desejar

Rock Band 4, quando comparado com o seu antecessor, foi lançado aos pedaços. A primeira versão do game, disponível no lançamento, não tinha modos online, nem mesmo uma área para praticar as músicas. Opções para customizar seu personagem eram mínimas, e não havia mais a opção de tocar teclado/piano. Apenas voz, guitarra, baixo e bateria.

Harmonix, a criadora do jogo, justificou que esse novo título foi produzido independentemente. As versões antigas foram financiadas pela Viacom, que na época possuía a empresa. Como eles tinham muito mais dinheiro, e o jogo era ainda popular, tiveram muito mais recursos naquelas versões.

 

Difícil de aprender e caro pra xuxu

O fato que é necessário controles desenvolvidos especialmente para o game não ajuda. Eles são caros, e no caso da bateria, frágeis demais.

O meu kit inicial com uma guitarra, bateria e microfone custou $230 usado. A guitarra estava com defeito, portanto tive que comprar uma nova por $80. Aqui os impostos são cobrados à parte dos produtos, portanto gastei mais de $350 só para ter o mínimo necessário para aproveitar tudo o que o jogo tinha a oferecer.

 

Rock Band 4 indo de mal a pior

Em um game que não é possível jogar sem equipamento específico, os jogadores esperavam que o hardware funcionasse perfeitamente. Só que não foi o caso com Rock Band 4. Muitas das guitarras vieram com defeitos de fábrica. Desconectava aleatoriamente, duplicava os inputs…

A qualidade dos instrumentos também deixou a desejar. O pedal da bateria era feito de plástico. Com dois meses de uso intenso, o meu tinha se despedaçado de forma irreparável. Era possível comprar o pedal separadamente. Mas ter que comprar um pedal novo a cada dois meses seria inviável e caro.

Os pratos eram igualmente frágeis. Com um mês de uso, já estavam descolando e desgastados nas bordas. O microfone pegava muito barulho ao redor, o que aumentava a frustração de alguém que não consegue cantar muito bem pra começo de conversa. De raiva eu destruí o microfone original e acabei comprando um com melhor isolamento acústico.

Foto de um dos pratos da bateria de plástico do Rock Band 4 com as bordas descolando
A borracha ao longo da borda já estava descolando e expondo o interior com apenas um mês de uso

 

Duas plataformas, uma mais acessível que a outra

Se você pudesse escolher, você teria Rock Band 4 no Playstation 4 ou Xbox One? Eu prefiro o design do Xbox. A interface, controle e até mesmo o console em si, acredito ser melhor desenvolvido do que o Playstation 4. Claro que na questão de software, a história é outra.

Infelizmente, tive que me contentar com a versão do Playstation 4. Meu parceiro na época não tinha um Xbox One, apenas o PS4. E eu não ia comprar um novo console apenas para jogar Rock Band 4.

Apesar das minhas preferências, jogar Rock Band 4 no PS4 é muito mais simples. Se você tiver guitarras compatíveis com o PS3, você pode simplesmente conectá-las ao PS4 e jogar. Você pode inclusive usar baterias eletrônicas ao invés do kit de plástico que oferecem. Basta usar um adaptador para a mesma. O adaptador é um acessório lançado para a versão do PS3. Mas é igualmente compatível com o PS4 sem qualquer problema.

 

O desastre iminente

A versão para o Xbox One não é nada amigável em comparação. Para poder usar instrumentos das versões anteriores, é preciso um adaptador especial. Até aí, tudo bem. Esse adaptador fazia parte do lançamento original para Xbox, portanto é bem fácil de se encontrar usado nas lojas por aqui.

Só que inclusive equipamentos USB, como o adaptador para bateria eletrônica, precisam de seu adaptador próprio. E esse não é o mesmo adaptador para os equipamentos sem fio. Esse adaptador USB foi produzido em quantidades limitadas que não atenderam a demanda, e o acessório esgotou quase que imediatamente.

Se você tem uma bateria eletrônica (como é o meu caso) e não conseguiu um desses adaptadores no curto período em que estiveram disponíveis… pode esquecer. Versões usadas custam em torno de $800 justamente por causa da raridade e da grande procura. $800 por uma caixinha de plástico com um simples adaptador. Usado, ainda por cima. Esse valor é quase o dobro que eu paguei pela minha bateria eletrônica!!

Foto do item Rock Band Wired Legacy Adapter
Essa simples peça de hardware que custou $30 originalmente, agora sendo vendida usada por volta de $800

 

Uma expansão esgotada

Apesar de um lançamento medíocre, Harmonix estava lançando atualizações constantes do jogo ao longo de 2016. Em julho do mesmo ano finalmente o modo de treinamento foi introduzido. Modos online e outras categorias de competição foram incluídas com uma expansão lançada no final de 2016.

Em resposta à qualidade insatisfatória dos instrumentos da leva inicial, novos instrumentos foram lançados com essa expansão. A nova leva foi produzida por outra empresa de hardware, PDP. As guitarras tinham um melhor design e o braço da guitarra podia ser dobrado para facilitar o transporte. A conexão com o console ficou mais estável, e a calibragem automática tinha uma melhor precisão.

Os estoques foram bastante limitados. Inicialmente isso passou desapercebido, visto que a base de jogadores era pequena. 8 meses após o lançamento, porém, não era mais possível encontrar os novos instrumentos. Se você quisesse o game, teria que comprar da leva original, na qual os instrumentos ainda estavam disponíveis visto que a produção tinha sido muito maior do que a da expansão.

 

Dois anos mais tarde, o que houve?

PDP deixou de fabricar a nova versão dos instrumentos. Não é possível nem encontrar mais a página referente aos produtos no site oficial. Mad Catz, a empresa responsável pela leva inicial, faliu, e apesar de já ter sido readquirida por outra empresa, não fabrica mais acessórios para o jogo.

Se você for um jogador novo, sem nenhum equipamento anterior, você está ferrado. Você terá que comprar usado, porém os preços são exorbitantes, visto que as quantidades são limitadíssimas. Um kit completo com todos os instrumentos custa em média $1.200. O preço original era $300.

Para completar a ironia, até mesmo o site oficial do game recomenda que você procure pelos instrumentos em sites como eBay e Craigslist. É como se eles não estivessem nem aí para o produto que oferecem. Claro que a situação é outra, e o custo para produzir novos itens é muito caro. Mas ao invés de deixar isso transparente, apenas agem como se fosse normal esperar que novos jogadores interessados no game procurem por itens usados. Ainda mais que o jogo não funciona sem o equipamento em questão.

Captura de tela do site oficial do Rock Band 4 com mensagem sugerindo interessados procurarem por instrumentos usados
Captura de tela do site oficial sugerindo interessados procurar por instrumentos usados visto que já não estão mais sendo fabricados

 

O sal na ferida

E é justamente por isso que me incomoda o fato que é possível comprar Rock Band 4 digitalmente nas lojas do Xbox One e Playstation 4. Entendo a disponibilidade, visto que alguns jogadores podem ter instrumentos de outras versões. Mas creio que deveria ter um aviso informando jogadores das limitações da versão digital.

Claro, há uma nota no final da descrição do produto informando da necessidade dos instrumentos serem adquiridos separadamente. Há também detalhes sobre a necessidade de um adaptador especial no caso do Xbox One. Mas ainda assim não há qualquer observação quanto à necessidade de um adaptador para o adaptador (ô redundância!) para uso com uma bateria eletrônica. E foi nesse lapso que eu acabei comprando uma versão digital que eu não posso usar.

 

Compre o jogo. Mas não use o jogo.

No começo deste ano, eu finalmente adquiri um Xbox One. E o primeiro jogo que comprei foi Rock Band 4. Eu já tinha uma bateria eletrônica e também o adaptador para conectar o instrumento com o Xbox 360. Como eu estava vindo da versão do Playstation 4, na qual você simplesmente conecta o adaptador do PS3 na porta USB e tudo funciona normalmente, imaginei que o processo seria similar no Xbox.

Ah, erro cruel. Pensei que o adaptador era necessário apenas para os instrumentos sem fio porque a forma como o novo console da Microsoft processa o sinal é diferente das versões anteriores. Mas não, equipamentos conectados diretamente nas portas USB do Xbox One também não são compatíveis. Para poder usar uma bateria eletrônica, você precisa de um adaptador de sinal para o adaptador da bateria eletrônica.

Eu só descobri isso depois de comprar a versão digital do game, a expansão e algumas músicas avulsas. E como aqui na América do Norte todas as compras digitais são finais e não aceitam reembolsos, eu literalmente comprei um jogo que eu não posso jogar. Deveria haver um aviso que impedisse a compra imediata, ou então pelo menos uma nota no topo da página com TODOS os esclarecimentos em questão.

Em especial, deveria ter um aviso detalhando a necessidade de adaptador para a conexão por USB também, na qual está completamente ausente da descrição do produto no Xbox One. Como não estava lá, concluí que funcionava da mesma forma que o PS4. Só depois de muita procura na internet encontrei uma resposta concreta de outros usuários frustrados.

Captura de tela com informações sobre requisitos de controles especiais para o jogo na página da versão digital do Rock Band 4
Descrição dos requisitos na página da versão digital do Rock Band 4 no Xbox One. Está no final da página, escondida em uma tag “mostrar mais” e ainda assim possui informações incompletas.

 

Um game sem vencedores

Não importa a forma como você considere a situação, o futuro não parece promissor. Estoque inexistente, práticas duvidosas, revendedores abusivos e desconsideração pelo consumidor. Quando a página oficial do jogo diz para você procurar pelos instrumentos em sites como eBay ou Craigslist, não custa muito para perceber que o barco está prestes a afundar.

É uma tristeza, realmente. O fato é que muitos fãs, eu inclusive, gostariam de continuar investindo na série. Infelizmente a audiência é pequena demais para justificar os custos e manutenção. E portanto lá se vai outra série divertida que potencialmente será esquecida por não ser mais lucrativa. Seleção natural, talvez?

Quem sabe na próxima geração tenhamos uma chance de conseguir o game e controles novamente. Mas se o passado serve como referência, não convém dormir no ponto. Se esperar muito, pode acabar ficando sem! Ou tendo que pagar um preço exorbitante para oportunistas que compram produtos de baixa procura para vender alguns anos mais tarde por um preço ridiculamente inflacionado. 🙁

(16)

Vagner Albino Nascido no Rio Grande do Sul, atualmente mora no Canadá e está sempre procurando pelas últimas novidades no mundo dos games. Seus jogos favoritos são RPG, aventura, música e indies, e ele mesmo já desenvolveu diversos pequenos jogos e interações para a plataforma Twitch, onde esporadicamente faz algumas transmissões.

Deixe um comentário

Por favor Faça Login para Comentar
  Acompanhe respostas por e-mail  
Notificar